Crimes em Porto Real provocam reação

Polícia Militar, Polícia Civil e a Prefeitura de Porto Real decidiram unir forças e trabalhar em parceria para melhorar as condições de segurança no município. Por iniciativa do prefeito Jorge Serfiotis, as principais autoridades envolvidas no combate ao crime se encontraram nesta quarta-feira, na sede da administração municipal, para traçar estratégias de ação. O comandante do 37º Batalhão da Polícia Militar, o tenente-coronel Rogério Jackes da Silva, o delegado titular da 100ª DP, Marcelo Hadad, e o próprio prefeito, através da Guarda Municipal, se comprometeram em aumentar a vigilância nos bairros e em atuar em parceria. “Temos que agir. Com a nossa ajuda podem contar”, ofereceu Serfiotis.

O encontro foi motivado por três assassinatos ocorridos no município nos últimos dias. Segundo o delegado Marcelo Hadad, dois já foram elucidados e o terceiro encontra-se em investigação. “Embora não haja relação entre os crimes, os casos espantam. É realmente preocupante”, afirmou. Serfiotis anunciou às autoridades policiais que abrirá uma licitação para contratação de um sistema de 16 câmeras de segurança e de uma central de monitoramento 24 horas, que será instalada no pórtico de acesso ao município. “A intenção é controlar a entrada e saída de veículos e contribuir para esclarecer e, principalmente, evitar os crimes”, adiantou o prefeito que pretende formalizar um convênio com as polícias para a utilização das imagens captadas.

O comandante do 37º Batalhão elogiou a iniciativa da Prefeitura de se oferecer para ajudar e confirmou que o município já recebeu um reforço de patrulhamento vindo de Resende. “Já temos viaturas permanentes em pontos estratégicos e outras circulando, mas o reforço de ronda dos veículos da Guarda Municipal nos ajuda bastante. Trabalhar em parceria é fundamental pra apresentarmos bons resultados à população”, informou o tenente-coronel. O prefeito se comprometeu ainda com o apoio à PM na manutenção das viaturas que atuam no município, já que o governo do Estado não tem mais este serviço sobre contrato.

Presente ao encontro o vice-prefeito e secretário de Obras, Ailton Marques, reforçou que é preciso intensificar as rondas e mostrar o poder de reação da polícia. “Vamos resolver”, concordou o comandante do 37º Batalhão.

Deixe um comentário