Rede Municipal de Saúde promove ações de incentivo ao aleitamento materno

As Unidades de Saúde da Família (USF) do município promovem ações em incentivo ao Aleitamento Materno visando alertar as mães sobre a importância dessa prática. São cerca de 100 gestantes, acompanhadas pela Atenção Básica do município, atualmente. Uma vez por mês são realizados encontros em grupos com gestantes, salas de espera e consultas direcionadas, voltados ao tema. Cada unidade propõe um dia e horário para as reuniões em grupo e divulga para as gestantes cadastradas.


Conforme Suzane Balieiro, coordenadora da Atenção Básica da Secretaria de Saúde, as USF já realizam o trabalho de conscientização do aleitamento junto às gestantes com atividades como reuniões e palestras individuais ou coletivas. “A amamentação é um vínculo muito importante entre mãe e filho e que vai além da saúde, mas também emocional e de desenvolvimento”, ressaltou.


De acordo com a coordenadora, os benefícios associados ao aleitamento materno são numerosos, como a presença de anticorpos, fatores imunomoduladores e anti-inflamatórios que não podem ser reproduzidos. O que muitas mães não sabem é que o leite humano é detentor de fontes de nutrientes que promovem o desenvolvimento cognitivo e visual na infância. 

A enfermeira e responsável pela USF do bairro Freitas Soares, Kátia Brasil, reforça que segundo preconiza o Ministério da Saúde, exclusivamente até os seis meses de vida a criança deve ser amamentada pela mãe. “Depois desse período e até os dois anos de idade, podem ser oferecidas outras formas de alimento para o bebê”. A enfermeira ainda enfatiza que os agentes de saúde das USF comunicam as gestantes e puérperas cadastradas nas unidades sobre o dia e horário específicos da reunião do grupo de amamentação e que as reuniões são muito importantes e orientadoras.

Segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS), o leite materno é um alimento completo e que deve ser exclusivo durante os primeiros seis meses de vida, como forma de fornecer ao bebê todos os nutrientes essenciais para um crescimento saudável. Após esse período, a criança ainda deve receber leite materno até os dois anos ou mais, junto com a alimentação complementar.

Deixe um comentário