Alexandre Serfiotis cobra na Secretaria de Atenção à Saúde mais recursos para a região

A qualificação de leitos de retaguarda em Porto Real para atender pacientes que entram na emergência do Hospital Municipal São Francisco de Assis com indicação de internação e incremento de seis novos leitos para a unidade, a liberação dos credenciamentos de serviços de hemodiálise na cidade de Volta Redonda e o aumento do teto financeiro da UNACON (Unidade de Atendimento de Alta Complexidade em Oncologia) da Santa Casa de Barra Mansa foram novamente reivindicados pelo deputado federal Alexandre Serfiotis ao Ministério da Saúde. Na terça-feira (27/06) esses temas, reiteradamente cobrados pelo parlamentar, foram tratados em reunião na SAS (Secretaria de Atenção à Saúde).

Além de Serfiotis, participou do encontro o Consultor Jurídico da SAS, Sérgio Costa, que representou Francisco Figueiro, Secretário de Atenção a Saúde do Ministério da Sáude. Também estavam presentes o Diretor do Departamento de Atenção Especializada, Fernando Machado; a Consultora Técnica da Coordenação Geral de Atenção Especializada, Rejane Leite; a Consultora Técnica da Coordenação Geral de Atenção Especializada, Gabriela Gonçalves; o Secretário de Saúde de Volta Redonda, Alfredo Peixoto de Oliveira Neto; o Diretor de Saúde de Volta Redonda, Rafael Galvão; o cirurgião oncológico e Diretor Técnico da UNACON, Edmar Lopes Neto; e a Gerente Administrativa da UNACON, Teresa Cristina Bastos.

– A qualificação dos leitos de retaguarda do Hospital Municipal São Francisco de Assis, em Porto Real, está na lista de prioridades do Secretário da SAS, assim como o incremento de seis novos leitos para o Hospital. A habilitação em nefrologia para a Clínica de Diálise de Volta Redonda tem algumas pendências que ainda precisam ser sanadas. Estamos trabalhando para que o aumento Teto da UNACON, na Santa Casa de Barra Mansa, também ocorra. Já havíamos discutido essas questões com o secretário de Secretaria de Atenção à Saúde do Ministério da Saúde, Francisco de Assis Figueiredo, e com o assessor técnico jurídico do órgão, Sérgio Costa, e com o próprio Ministro Ricardo Barros, cobrando o atendimento dessas e outras demandas, bem como a liberação de recursos financeiros para a região, que significam mais investimentos para a saúde pública do Sul Fluminense – lembra Alexandre Serfiotis.

Deixe um comentário