Volta Redonda recebe projeto ‘Cidades Empreendedoras’ do Sebrae

O prefeito de Volta Redonda, Samuca Silva, participou nesta quinta-feira, dia 6, do workshop de lançamento do programa ‘Cidade Empreendedora’, uma realização do Sebrae, em parceria com o governo municipal. A ideia do projeto é unir a gestão pública e lideranças locais para que sejam criadas e implantadas políticas públicas voltadas às micros e pequenas empresas. Desta forma, o ambiente empresarial melhora, segundo a coordenadora regional do Sebrae no Médio Paraíba, Ana Lúcia Araújo Lima.

“Quero ser o prefeito conhecido como o mais empreendedor do país. Temos que pensar o que ninguém pensou. Não há tempo pra ficar fazendo o básico. O impossível é só questão de opinião”, disse Samuca, que citou algumas medidas de incentivo ao Desenvolvimento Econômico da cidade, como o fim da taxa de R$ 800 do MEI; o Alvará Fácil (desburocratiza a abertura de empresas) e as Ruas de Compras – que já reuniu mais de 100 mil pessoas em duas edições (Avenida Amaral Peixoto e Retiro).

Além disso, o prefeito destacou o número de empregos formais que foi criado nos últimos três meses.“Volta Redonda fechou março, abril e maio com o saldo de empregos positivo. Não são dados da prefeitura, mas sim do Ministério do Trabalho e Emprego”, afirmou o chefe do Executivo municipal, que foi acompanhado por representantes das seguintes secretarias: Desenvolvimento Econômico e Turismo; Administração; Educação; Saúde; Ação Social; Comunicação Social e outras.

Ana Lúcia destacou sobre a importância dessas parcerias para o município. “Volta Redonda é a capital da região. Que esse governo e entidades continuem as parcerias para o bem da população. ‘Cidade Empreendedora’ é uma ferramenta do Sebrae é para melhorar uma gestão pública. Quem sabe um dia o empreendedorismo seja uma matéria escolar”, disse a coordenadora regional do Sebrae.

Além de Volta Redonda, outros 11 municípios estão recebendo o apoio do Sebrae no Estado do Rio de Janeiro. Para participar, foram levados em consideração os seguintes critérios: status de lei geral municipal implementada; densidade empresarial e ambiente favorável para desenvolvimento do programa.

Volta Redonda saiu na frente. Na semana passada, por exemplo, o município lançou o Codese (Conselho de Desenvolvimento Econômico, Sustentável e Estratégico), uma Organização da Sociedade Civil de Interesse Público (Oscip), formada por representantes de entidades apartidárias e sem fins lucrativos. A intenção é discutir e propor soluções estratégicas para um desenvolvimento econômico sustentável, através da elaboração e monitoramento de projetos de médio e longo prazo.

“Quero pensar Volta Redonda para daqui a 20 anos e não pensar apenas no mandato. É plantar uma semente e colher lá na frente”, finalizou o prefeito.

Deixe um comentário