Defesa Civil registra aumento em número de queimadas

A Secretaria Municipal de Ordem Pública, através da Defesa Civil e a Secretaria de Meio Ambiente desenvolvem uma parceria no que se refere às ocorrências de queimadas no município.  Pela prática de atear fogo em vegetação ou em qualquer material que venha causar prejuízos ambientais ou a terceiros, o infrator está sujeito a penalidades. A prática de queimadas é crime. A Lei Federal 9605/1998, por meio do artigo 54, prevê pena de um a quatro anos de prisão e multa. O violador responde por crime ambiental e poderá ser conduzido para a delegacia.

Segundo o fiscal ambiental, Geovane Andrade, a prática de realizar queimadas é recorrente. Ele afirma que muitas vezes essas ocorrências estão relacionadas a um hábito inadequado de eliminar resíduos. “Colocar fogo em local com mato alto ou em outro lugar com o objetivo de higienizar um ambiente, não vai ser a solução do problema. Muito pelo contrário, isso acaba causando prejuízos à fauna e à flora. Quando os animais se deparam com o fogo, normalmente procuram um lugar seguro, que pode até mesmo ser a casa de alguém”.

O diretor de Defesa Civil, Leandro Augusto de Souza, relatou que somente nos últimos seis meses a equipe de Defesa Civil registrou um total de 120 atendimentos referentes às queimadas. “As diferenças no número de ocorrências são consideráveis. Em janeiro tivemos três focos de incêndio, já nos dois últimos meses as ocorrências aumentaram dez vezes mais. Este período de estiagem favorece as queimadas”.

 “A Defesa Civil recebe diariamente várias denúncias de focos de incêndio, alguns são pequenos e outros de grande proporção. Neste período crítico de estiagem, mesmo com apelos, campanhas e cientes dos prejuízos à saúde, materiais e ambientais, há pessoas que ainda insistem em atear fogo em vegetação. Situações como essas, infelizmente estão fazendo parte do cotidiano da nossa cidade”, relatou o assessor da Defesa Civil, Evison Moura.

O secretário de Ordem Pública, Elias Vargas, explicou que muitas vezes a Defesa Civil precisa de parcerias para combater os focos de incêndio. “A equipe da Defesa Civil conta também com o apoio do Plano de Auxílio Mútuo da Região das Agulhas Negras (PAM-RAN). Através dessa parceria, quando o Corpo de Bombeiros fica por algum motivo impossibilitado de auxiliar a Defesa Civil no combate aos incêndios de maiores proporções, as equipes de bombeiros das indústrias de nossa região são acionadas”.

 

Denúncias

Em caso de denúncia ou solicitação de apoio de emergência, a população poderá entrar em contato com o Corpo de Bombeiros Militar do Estado do Rio de Janeiro (CBMERJ), pelo telefone 193, ou através da Defesa Civil Municipal e Guarda Municipal, pelo telefone (24) 3353-3537 ou (24) 3353-1245.

Deixe um comentário