Aedes aegypti: Secretaria de Meio Ambiente intensifica recolhimento de pneus inservíveis

O período de chuvas chega e imprime uma nova rotina a alguns setores do serviço público. Um deles é o de recolhimento de pneus inservíveis da natureza, por meio do projeto EcoPneu, da Secretaria de Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável de Barra Mansa.

De olho no combate aos criadouros do mosquito Aedes aegypti, transmissor da dengue, zika vírus, febre chikungunya e febre amarela, o órgão está intensificando a fiscalização aos pontos geradores de pneus velhos e usados.

Segundo o coordenador do projeto EcoPneu, Sales Primo, entre outubro e janeiro existe uma forte tendência ao aumento considerável no volume de pneus descartados em virtude das férias e festas de fim de ano. “Os motoristas preparam seus carros para viagem e isso explica o volume no número de pneus usados, que precisam ser descartados, de maneira adequada a fim de evitar que se tornem potenciais criadouros do Aedes aegypti”, detalhou Primo.

Com cerca de 130 pontos de coleta de pneus cadastrados, o município recolheu, até o momento, à sede do projeto Eco Pneu aproximadamente 800 toneladas de pneus. “Eles são armazenados em um galpão coberto e, posteriormente encaminhados as empresas, por meio da Anip (Associação Nacional da Indústria de Pneumáticos), onde são utilizados na fabricação de asfalto, energia renovável, cimento e outros produtos”, explicou.

O coordenador disse ainda que a fiscalização do setor está monitorando algumas áreas do município, utilizadas como pontos de descartes clandestinos de pneus.

A dengue em números:

De acordo com informações do Setor de Epidemiologia, da Secretaria de Saúde de Barra Mansa, em 2016 foram notificados 916 casos de dengue. Desse total, 244 foram confirmados. Não houve registros de febre chikungunya e febre amarela. Dezenove gestantes contraíram o zika vírus. Em 2016, foram registrados cinco óbitos por dengue

Em 2017, houve uma redução nos casos, com 37 notificações por dengue, sem confirmações da doença e outros dois casos de suspeitos de zika vírus.

Deixe um comentário