Barra Mansa decreta Estado de Alerta em função da chegada da temporada de chuvas

O prefeito de Barra Mansa, Rodrigo Drable, decretou no último dia 1º, Estado de Alerta no município, em decorrência da chegada do período de chuvas fortes, típicas do verão. A medida, de caráter preventivo, se estende até o fim de março e envolve todos os setores da administração municipal, principalmente a Coordenadoria de Defesa Civil, subordinada à Secretaria de Ordem Pública, a Superintendência de Obras e Serviços Públicos, Planejamento Urbano, Assistência Social e Direitos Humanos, Desenvolvimento Rural e Saae (Serviço Autônomo de Água e Esgoto).

De acordo com o coordenador da Defesa Civil, Sérgio Mendes, o Plano de Ação e Reposta a Desastre e Assistência tem a finalidade de atuar  em situações de anormalidade que ocorrerem no município. “Uma das especificidades de Barra Mansa está relacionada ao número de residências construídas à beira dos Rios Bananal, Barra Mansa e Paraíba do Sul. Na temporada de chuvas, esses moradores sofrem com os constantes alagamentos. Com a intenção de minimizar os estragos provocados, a Defesa Civil monitora o nível dos Rios Barra Mansa e Bananal e recebe informações de Furnas sobre o nível do Paraíba do Sul, bem como do nível de vazão da Represa do Funil, em Resende. Assim, avisamos aos moradores sobre eventuais incidentes que possam vir a ocorrer, com a utilização de carros de som e da própria imprensa”, explicou Sérgio.

O coordenador ainda explicou que em casos de situações de anormalidades, a população deve buscar um lugar seguro e entrar em contato imediatamente com a Defesa Civil pelo telefone 199. “Em primeiro lugar é necessário garantir a vida. Em seguida acionar a Defesa Civil para que possamos tomar as providências  necessárias, ressaltou Sérgio, lembrando que o Plano de Ação conta com apoio de duas retroescavadeiras, dois caminhões basculantes, duas caminhonetes e um caminhão pipa.

REUNIÃO – Na tarde desta terça-feira (05), foi realizada no Rio de Janeiro, reunião entre coordenadores municipais da Defesa Civil e o comando estadual do órgão. No encontro foi debatido o Plano de Ação para a Redução de Desastres Ambientais. “Discutimos sobre as atividades padrões de assistência em casos de catástrofes e necessidade de agilizar o processo de informação tanto para a população como entre os órgãos da Defesa Civil”, detalhou Sergio.

Ainda durante a reunião foi apresentado o trabalho de enfrentamento à enchentes realizado em uma escola da rede estadual, instalada próximo às margens de um rio. A experiência deve ser repassada as outras unidades escolares em situação semelhante.

Com relação à desativação dos serviços de alerta de chuvas – as sirenes, Sérgio Mendes disse que por conta da crise financeira vivida no Rio de Janeiro, o Governo do Estado não renovou o contrato com a empresa responsável pela manutenção dos equipamentos. As sirenes foram desativadas em vários municípios em março de 2016.  

Deixe um comentário