Concerto natalino emociona público no Retiro

A Orquestra de Cordas de Volta Redonda realizou na noite de quarta-feira, dia 20, sob regência da maestrina Sarah Higino, o concerto especial “Natal nas Igrejas”, com a participação do Coro Misto, Sopros e Percussão da Banda de Concerto, do Projeto Volta Redonda Cidade da Música. O violinista Nikolay Sapoundjiev, da Orquestra Sinfônica Brasileira, foi a novidade da apresentação, realizada na Igreja São Sebastião, no bairro Retiro.

O professor Nicolau Martins de Oliveira, fundador do projeto há mais de 40 anos, não poupou elogios a apresentação do convidado especial. “A grandiosidade dele está acima das minhas considerações”, simplificou. E, de fato, a apresentação do solista da Orquestra Sinfônica Brasileira foi digna dos mais calorosos e duradouros aplausos.

Para o prefeito Samuca Silva, o natal é um momento mágico, que renova a esperança de todos. “Por conta dessa data importante, buscamos descentralizar as atividades natalinas, levando as ações para os mais diversos bairros. O Concerto Natalino vai a esse encontro, levando arte, esperança e emocionando a população”,destacou o prefeito.

Nikolay é búlgaro e aprendeu a tocar violino aos 6 anos de idade. O músico, de 44 anos, está há mais de 20 anos no país. Ele destacou a qualidade do Projeto Volta Redonda da Música. “O que mais me impressionou nestes alunos foi a disciplina e seriedade deles em levar o melhor para os nossos ouvidos. Espero que minha experiência tenha influenciado um pouco. Estes alunos possuem um papel importantíssimo na sociedade e este projeto é um exemplo para todos de como se tornar cidadãos. Eu também saio ganhando, e muito”, disse.

Claudete Nogueira Pereira é mãe da pequena Agnes, de 11 anos. A menina está desde os 7 no Projeto VR Cidade da Música e, segundo a mãe, sempre foi apaixonada por música. “Ela inclusive já planejou o futuro dela, afirmando tem o sonho de ser musicista. Como mãe, tenho o dever de incentivar o máximo que ela realize seus desejos”, afirmou.

Na música “Noite de Paz”, o público ficou em pé e cantou a canção em coro, a pedidos de Sarah Higino. Sarah ainda repetiu o gesto protagonizado no Cine 9 de Abril, no último sábado, onde pediu para o público se abraçar e desejar ao outro um feliz Natal. Já na música Hallelujah, como de costume, as pessoas tiraram seus celulares do bolso para registrar o momento e cantar junto com a orquestra.

O presidente da Fevre (Fundação Educacional de Volta Redonda), Eduardo Dessupoio, e a secretária de Educação, Rita Andrade, fizeram questão de lembrar que este projeto cumpre fielmente a função da Educação da cidade, que é o de formar pessoas melhores. “A função da escola é oferecer ao aluno a oportunidade para desenvolver aquilo que já tem dentro de si. E este projeto já provou inúmeras vezes sua eficiência na formação dos nossos jovens.Estamos muito orgulhosos e o espetáculo foi belíssimo”, concluíram.

Desenvolvido em 39 escolas públicas da cidade, o projeto atende cerca de quatro mil alunos da pré-escola e ensino médio.

 

Teatro da FBG – Trinta crianças e adolescentes da Fundação Beatriz Gama (FBG) realizaram na noite de quarta-feira, dia 20, ações alusivas ao Natal, na Praça Brasil, no bairro Vila Santa Cecília. O evento, denominado Natal da Alegria, teve início às 19h30, com o Coral da FBG, composto por 10 crianças, mostrando o espírito do mês de dezembro ao interpretar quatro canções natalinas, entre elas “Natal de Luz” e “Chegou o Natal”.

A regência do coral ficou por conta de Hosana Mariano Matheus, que elogiou a participação das crianças. “Elas ficam realizadas, se soltam e o mais importante: elas gostam. Me sinto honrada em participar deste momento único da vida delas”, disse a mãe de Lucas, de 11 anos, Maria José Souza foi até o local prestigiar a atuação do filho.

“A paixão dele sempre foi cantar. É emocionante ver meu filho crescendo e se dedicando a algo tão bonito”,elogiou.

Em seguida foi a vez de 20 crianças encenarem uma peça sobre o nascimento de Jesus, destacando a importância, o impacto e a representação do momento através da música. Morador do Retiro, Jonathan dos Santos, de 16 anos, está há um ano na fundação e interpretou na peça um dos três reis magos. “Levei um pote de ouro ao menino Jesus. É um momento de confraternização, onde trabalhamos a nossa alma para o bem. Sobre a peça, ela me ajudou muito a perder a vergonha”, comentou.

A presidente da Fundação Beatriz Gama, Cláudia Dornellas, destacou as apresentações. “São ações gratificantes tanto para as crianças quanto para os professores e funcionários, onde os pais e a população em geral ficam encantados”, concluiu a presidente.

Deixe um comentário