Direção do Hospital da Mulher traça planos para 2018

Além de dar continuidade ao trabalho que vem sendo desenvolvido relacionado à implementação das estratégias do Programa do Ministério da Saúde, a Rede Cegonha que, pressupõe o desenvolvimento de ações e “Boas Práticas para o Parto e Nascimento”, visando a diminuição da mortalidade materna e neonatal, compromisso assumido pelo país junto à ONU pelo Pacto do Milênio. O diretor do Hospital da Mulher, o médico Cláudio Leite, disse estar confiante com as perspectivas para 2018. “A previsão para este ano é a reforma do Centro Obstétrico e também a do telhado. Também vamos implantar o Centro de Estudos, já que hoje o hospital não tem. Nossa expectativa é manter mortalidade materna em 0%, como foi em 2017”, revelou.

Ele ainda acrescentou que estão empenhados na qualificação das equipes a fim de ampliar e melhorar o atendimento a todas as gestantes. “O pedido do nosso secretário de Saúde, Sergio Gomes, é que trabalhemos com grande afinco nas ações voltadas a humanização do atendimento conforme proposto pelo Programa da Rede Cegonha, além de realizarmos as adequações necessárias para alcançarmos a certificação de ‘Hospital Amigo da Criança’”, completou Cláudio Leite.

A assistente social Ariadina Schaeffer destacou o Projeto Hora da Mamãe, que abre as portas da maternidade para a visita das gestantes antes do parto. “Isto permite que a gestante se sinta mais segura pelo vínculo inicial criado e por poder, tanto ela como seu acompanhante, conhecer as instalações e a rotina da  Unidade”, afirmou.

Este projeto vem sendo desenvolvido desde agosto e em crescimento contínuo já que, segundo a Organização Mundial da Saúde, estima que cerca de 85% das grávidas tem gestação de ‘risco habitual’  e conforme previsto no Programa do MS, realizam o acompanhamento de pré-natal nas Unidades Básicas de Saúde. “O Projeto Hora da Mamãe favorece esta vinculação entre Hospital e gestantes. Além disso, nestes encontros, discutimos temáticas de interesse das gestantes e explicamos sobre o preparo para o parto, algumas necessidades da rotina, além de tranquilizá-las de que todos os partos poderão ser acompanhados por alguém de escolha da mulher, fator fundamental para deixá-la também mais segura em relação ao momento do nascimento do filho, entre outros assuntos”, revelou Ariadina. A edição do Projeto está programada para acontecer no dia 27 e o tema da palestra será ‘Cuidados com os recém-nascidos’. Todas as Unidades de Saúde estarão divulgando e ofertando mais informações a respeito.

Sobre o Projeto Sala de Espera, a assistente social Ariadina revelou que é uma ação constante. “Enquanto as gestantes esperam ser atendidas pelos médicos, levamos um profissional devidamente qualificado para transmitir informações rápidas. O tema definido para o mês de fevereiro está relacionado à prevenção das doenças sexualmente transmissíveis e esta abordagem acontece, pelo menos, uma vez na semana”, disse.

O subsecretário de Saúde, Silvio Daniel, elogiou a equipe do Hospital da Mulher. “Temos uma equipe multidisciplinar, com especialistas em vários setores no que se diz ao tratamento a gestante e a mulher. Estamos criando mecanismos para levar conhecimento, mas principalmente, para elevar a saúde das mulheres de nosso município”.

Também participaram da reunião a diretora técnica Mariana Xavier, a gerente administrativa, Isa Maria do Valle e a gerente de enfermagem, Flávia de Carvalho.

Deixe um comentário