Samuca Silva e Rodrigo Drable lançam obras da ponte na Vila Elmira

Os prefeitos Samuca Silva (Volta Redonda) e Rodrigo Drable (Barra Mansa) anunciaram o início das obras de travessia sobre o Riacho Ponte Alta, que liga as duas cidades. A ponte desabou devido às fortes chuvas que atingiram a região. Os chefes dos Executivos estiveram na manhã desta segunda-feira, dia 19, visitando o canteiro de obras. Volta Redonda instalou uma passarela entre os bairros para que os pedestres não precisem andar dois quilômetros para atravessar o córrego.    

A construção da nova ponte terá um investimento de R$ 400 mil, que será divido entre os dois municípios (R$ 200 mil para cada cidade). Pelo cronograma das obras, a travessia deve ficar pronta em três meses. A prefeitura de Volta Redonda foi responsável pela licitação da obra e contratação da empresa. Já Barra Mansa realizou o projeto e os licenciamentos ambientais.      

“Essa união mostra que as duas cidades estão interessadas em resolver o mais rápido possível o problema da população. Estamos investindo para melhorar o bem estar dos moradores, além de prevenir que a situação se agrave e comprometa até mesmo as residências. A ponte é uma importante ligação entre os dois municípios”, destacou Samuca Silva.

Rodrigo Drable concordou com Samuca Silva e complemento: “Neste momento difícil, mostrou que a união entre Barra Mansa e Volta Redonda é importante, o que não acontecia no passado. É uma verba das duas prefeituras que está resolvendo um problema do Governo do Estado. Eu agradeço à Volta Redonda por essa parceria para resolver esse antigo problema”.

População elogia a união e o empenho dos prefeitos 

 

Os moradores das ruas Osmarino de Oliveira Novaes e Manoel José da Silva agradeceram a visita dos dois prefeitos e elogiaram a união para resolver um antigo problema dos dois municípios. 

“Essa união mostra que os dois governos estão empenhados para resolver o nosso problema. É uma resposta para os pessimistas de plantão do bairro”, disse a motorista de ônibus Zenite de Souza, de 51 anos, que acompanhou início das obras. 

Morador do bairro há quatro décadas, o aposentado Teófilo Lacerda, de 65 anos, nunca tinha visto o investimento e a união entre as duas prefeituras. “É um dia histórico para nossa comunidade. O desabamento atrapalhou muito a nossa vida e nossa mobilidade. A passarela e a ponte facilitarão nossas vidas”, disse.

A professora Cláudia Guepp de Oliveira, de 34 anos, também aprovou a atitude entre as duas prefeituras.“Quando há um problema entre as duas cidades, as prefeituras devem se unir para o bem estar da população. As duas prefeituras estão dando exemplos”, finalizou.