Volta Redonda registra mais de 1,2 mil empresas abertas em um ano

O Regin (Registro Mercantil Integrado) completou o primeiro ano em Volta Redonda e os dados do programa são surpreendentes: 1.299 empresas abertas e mais de dez mil atendimentos. As informações foram divulgadas durante uma reunião com os integrantes do Regin com empresas e profissionais de contabilidade de Volta Redonda. O encontro aconteceu na manhã desta segunda-feira, dia 5, no auditório da prefeitura de Volta Redonda. 

“A melhoria no ambiente de negócio passa pelo Regin e a integração entre os órgãos públicos e os contadores. Esse processo precisa ser sistemático”, disse o Joselito Magalhães, secretário municipal de Desenvolvimento Econômico de Turismo.

O Regin é um sistema que integra os órgãos públicos envolvidos no Registro de Empresas como a Junta Comercial, Receita Federal, Secretaria de Fazenda Estadual e órgãos municipais. O objetivo do Regin é agilizar, para empresários e futuros donos de empresas, os processos empresariais com o governo, de forma gratuita e informatizada.

“Além disso, com o sistema, os empresários vão conseguir fazer alterações contratuais e dar baixa em sua empresa em um único local e sem precisar sair de casa, ou do seu ambiente de trabalho”, explicou Joselito.

Participaram da reunião também a secretária municipal de Meio Ambiente, Daniela Vasconcelos; diretor da Vigilância Sanitária, Bruno Freitas, e o Marcos Vieira da Cunha, responsável pelo Regin da prefeitura de Volta Redonda.

“Tem uma forma de fazer todo o processo via Certificação Digital, o que elimina 100% do papel. Você pode fazer o registro do seu contrato social, ou da sua firma individual, todo via internet, preenchendo os formulários e assinando através da Certificação”, afirmou Marco Vieira da Cunha.

O encontro agradou os contadores: “Estou lidando com a prefeitura há mais de 20 anos e posso dizer que houve uma melhora considerável no último ano”, disse a contadora Denizete Lima. O presidente da Aescon (Associação de Empresas de Serviços Contábeis), Leandro Cunha Glória. “Após a implementação do Regin, houve uma considerável melhoria no atendimento do poder público com os contadores e com os nossos clientes”, resumiu o presidente da Associação   

Para o prefeito Samuca Silva, a pessoa que estiver se estabelecendo vai ter um ganho fundamental: um menor tempo para já atuar com sua empresa.  “É uma via de mão dupla: o empresário atuando rápido e a prefeitura arrecadando rápido. É bom para todo mundo. Volta Redonda fica situada numa região estratégica para a econômia do país, entre o eixo Rio-São Paulo. Entrar no Regin foi um grande passo para abrir novas empresas, criando emprego e renda”, afirmou.

Durante o encontro, foi divulgada também a possibilidade dos empresários abaterem até 12% do rendimento do imposto de renda. Em contrapartida, as empresas precisam doar as entidades sociais da cidade. As associações precisam estar regularizadas, segundo informou a Controladoria Geral do Município (CGM).