Volta Redonda possui ampla rede de atendimento e apoio a autistas

O Dia Mundial do Autismo, criado pela Organização das Nações Unidas (ONU), é celebrado no dia 2 de abril. Em Volta Redonda, as pessoas com Transtornos do Espectro Autista (TEA), recebem apoio e tratamento o ano todo. O município possui uma ampla rede de atendimento aos autistas e abriga a primeira escola da América Latina com atendimento focado em crianças autistas – a Escola Especializada Dayse Mansur da Costa Lima, que fica no bairro Jardim Paraíba, e atende a 77 alunos, com idade até 16 anos.

Outro ponto de ensino focado nas pessoas com TEA é o Sítio Escola Municipal Espaço de Integração do Autista Thereza Chicarino Aguiar de Carvalho, que atualmente atende a 83 alunos. Nas escolas especializadas os alunos recebem acompanhamento físico e pedagógico. Fazem atividades complementares como aulas de música, informática e atividades físicas. Também aprendem como realizar as atividades básicas do cotidiano, além de atividades voltadas para o desenvolvimento da linguagem, funções motoras, comunicação e interação.

De acordo com a secretária municipal de Educação, Rita de Cássia Andrade, em Volta Redonda eles são acompanhados desde a primeira infância até a fase adulta. “Os alunos que, mesmo com as adequações curriculares propostas, não conseguem acompanhar as propostas pedagógicas nas classes regulares, são encaminhados para a rede especializada”, garantiu a secretária.

Os alunos com TEA matriculados no ensino regular municipal, atualmente 142 alunos, recebem estímulos para o desenvolvimento do seu potencial, respeitando suas questões específicas, seja elas de comportamento, comunicação ou aprendizagem. “O acompanhamento é feito pela Seção de Educação Especial, e visa orientar as equipes e professores sobre o trabalho a ser desenvolvido, indicando se há necessidade de Adaptação Curricular ou de acompanhamento por Auxiliar de Educação”, explicou Taís Machado, chefe da Seção de Educação Especial, da secretaria de Educação de Volta Redonda.

Para o prefeito de Volta Redonda, Samuca Silva, o plano de ensino regular e o atendimento educacional especializado devem ser desenvolvidos em conjunto. “É um trabalho realizado por uma equipe pedagógica que leva a sério esse tema, respeitando o direito dos autistas. Nosso objetivo é de promover a sua inclusão na sociedade, melhorando a qualidade de vida não só do aluno, mas de toda família”, disse o prefeito.

Na Rede Municipal de Saúde, os autistas são assistidos no CAPS (Centro de Atenção Psicossocial) do Jardim Belvedere, no CAPSi (Centro de Atenção Psicossocial Infanto-Juvenil) na Vila Mury e no CER III (Centro Especializado em Reabilitação), que funciona no Estádio Raulino de Oliveira, no Jardim Paraíba.

O CAPS do Jardim Belvedere, que fica na Avenida Álimo Antônio Francisco, nº 243, é referência para autistas adultos. A equipe multidisciplinar formada por fonoaudiólogo, psicólogo, psiquiatra, enfermeiro, técnico de enfermagem e cuidadores garantem atendimento integral.

A unidade, que também atende pessoas com transtorno mental grave e população de rua, funciona com demanda espontânea, a população pode procurar a unidade diretamente, ou por indicação das Unidades Básicas de Saúde e SPA (Serviço de Pronto Atendimento) Aterrado.

No CAPSi, que está na Avenida Amazonas, nº 175, na Vila Mury, o atendimento é voltado para crianças e adolescentes de 0 a 18 anos incompletos, com transtornos mentais graves e persistentes, e todo aquele que por sua condição psíquica se encontra impossibilitado de manter laços sociais ou esteja prestes a rompê-los. A unidade também assiste pessoas que apresentam necessidades decorrentes do uso abusivo de crack, álcool e outras drogas. O atendimento nos CAPS é de segunda à sexta-feira, das 8h às 18h.

O CER III (Centro Especializado em Reabilitação) Física, Intelectual e Visual, que funciona no Estádio Raulino de Oliveira, Rua 545, s/nº, no Jardim Paraíba, atende a crianças e adolescentes com TEA (Transtorno do Espectro Autista) até os 14 anos. A unidade funciona de segunda à sexta-feira, das 7h às 18h, e recebe pacientes referenciados pelas Unidades Básicas de Saúde.

De acordo com o secretário de Saúde de Volta Redonda, Alfredo Peixoto, o município conta com uma rede completa de assistência à saúde, incluindo os autistas. “Esses não poderiam ficar sem o atendimento especializado a que têm direito. Nas unidades citadas, os autistas são assistidos por equipe multidisciplinar que promove melhora global na qualidade de vida”, afirmou.