Mercado Orgânico de Volta Redonda vai valorizar Praça da Chaminé

O Conselho Municipal de Cultura de Volta Redonda aprovou, em sessão na tarde desta quinta-feira, dia 15, o projeto da prefeitura de Volta Redonda de criar o Mercado Orgânico Municipal na tradicional Praça da Chaminé, no bairro Aterrado. O mercado será o primeiro de comércio exclusivamente de orgânicos, feito pelo poder público, no estado do Rio de Janeiro.

De acordo com a chefe de gabinete do Instituto de Pesquisa e Planejamento Urbano, Débora Vieira, o projeto visa valorizar a praça e a Chaminé. “A Chaminé é um monumento da nossa cidade, que conta a história da Fazenda Santa Cecília e do engenho de cana de açúcar. Só que hoje sua visitação é muito pequena. Com o Mercado Orgânico vamos valorizar o local e a chaminé, com iluminação melhor e revitalização da praça”, disse Débora.

O prefeito Samuca Silva salientou a importância de se valorizar a Chaminé. “Nós, com o Mercado Orgânico, vamos valorizar um patrimônio cultural. Temos como objetivo fazer com que aumente a visitação desse importante monumento da nossa cidade. Nosso intuito é de valorizar a Praça da Chaminé”,disse Samuca.

Estevão Roque Fidelix, membro do Conselho Municipal de Cultura, elogiou o projeto “O Mercado Ôrganico vai fazer uma articulação com um patrimônio cultural que é a Chaminé, o marco zero do município. E vai atender ainda o público consumidor e os produtores de orgânicos”, ressaltou o conselheiro.

A prefeitura de Volta Redonda conseguiu, através de um sistema de convênios com o Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, a quantia de R$ 539 mil para a criação do Mercado Orgânico Municipal.

O secretário municipal de Desenvolvimento Econômico e Turismo, Joselito Magalhães também destacou a importância do Mercado de Orgânicos. “Queremos atender a demanda de orgânicos e agricultura familiar de Volta Redonda e região”, concluiu o secretário.  

O aposentado Antonio Vieira da Silva, de 74 anos, que passava pela Praça da Chaminé na tarde desta quinta-feira, dia 15, disse que o projeto irá valorizar um patrimônio do município. “Acredito que a Chaminé deveria ser mais visitada pelos moradores de Volta Redonda. Mas hoje a praça fica vazia, ninguém se preocupa em visitar esse monumento. Com o Mercado Orgânico isso irá melhorar”, opinou o aposentado.