Após seis anos de prejuízo, EPD fecha com lucro de R$ 355 mil em 2017

A EPD (Empresa de Processamento de Dados) de Volta Redonda divulgou nesta semana o balanço financeiro de 2017. Depois de acumular um prejuízo de R$ 300 mil em seis anos, a empresa pública conseguiu fechar com um lucro de R$ 355 mil no último ano. As informações foram passadas pelo presidente da EPD, Matheus Moreira Cruz. Segundo ele, o resultado positivo se deve ao choque de gestão determinado pelo prefeito Samuca Silva.

“Criamos uma cultura entre os nossos colaboradores para reduzirmos drasticamente os custos desnecessários e priorizamos de investimento. É resultado de uma gestão eficiente e de redução de custos determinada pelo prefeito Samuca Silva”, afirmou o presidente da EPD.

Ainda de acordo com Matheus Moreira Cruz, a empresa pública conseguiu recuperar a CND (Certidão Negativa de Débito). A EPD negociou e está quitando sua dívida, com prestações mensais de R$ 60 mil, junto ao INSS (Instituto Nacional Serviço Social). A dívida é referente ao não recolhimento do INSS dos seus funcionários. A empresa estava na lista negra desde 2014 e a renegociação possibilitou a volta da emissão de CND.

“Com CND, podemos participar de licitações de órgãos públicos, aumentando as fontes de arrecadação da EDP. Além disso, tivemos também a regularização jurídica da EPD, que está desorganizada há mais de 20 anos”, contou o presidente da empresa.

O prefeito de Volta Redonda, Samuca Silva, ressaltou que Volta Redonda é uma das poucas cidades do país que tem uma empresa pública voltada para a tecnologia.

“Precisamos aproveitar isso e os resultados de uma boa gestão na EPD já estão aparecendo. Pretendemos aumentar a receita da empresa pública para investirmos ainda mais como, por exemplo, melhoria da Aldeia Digital, no sistema de marcação de consulta em rede e outras soluções digitais para a população”, disse Samuca Silva.